Advogados da ex-mulher de Fernando Collor pedem prisão do senador por atraso de pensão

O senador e ex-presidente Fernando Collor de Mello terá a prisão pedida e não é por causa das investigações da Lava-Jato. O motivo é o não pagamento de pensão à ex-mulher, Rosane Malta, diz o jornal Extra.

Por determinação judicial, Collor deve depositar, para Rosane, o valor aproximado de R$ 28 mil, até o primeiro dia útil do mês. O que não aconteceu.

Tenho meus compromissos e já vou ter que arcar com os juros este mês”, dispara a ex-primeira-dama do Brasil.

A briga pela pensão se arrasta a 12 anos, desde que os dois se divorciaram. O senador poderá ser obrigado a destinar metade de seu salário no Senado Federal para abater a dívida de quase 1 milhão, que tem com a ex-mulher desde 2005.

A ação de pensão alimentícia, que requer o pagamento de retroativos não quitados, já foi julgada em última instância no Superior Tribunal de Justiça-STJ e não cabe mais recurso.

Na época da separação, em 2005, ficou determinado pela Justiça o pagamento de 30 salários mínimos por mês (algo em torno de R$ 28 mil).

“Ele me deve anos de pensão. Se não pagar mensalmente, vai preso. Eu estou pedindo os retroativos com todas as correções e juros”, diz Rosane, que ainda tem direito a imóveis e dois carros.

Os advogados de Rosane entram hoje com o pedido de prisão de Fernando Collor.

Rosane garante que queria estar no mercado de trabalho, mas questiona “quem dá emprego para a ex-primeira-dama do país”?

mudancadeparadigmas.com