Apresentação de artista é confundida com surto e bailarino é sedado no RS

A performance artística do bailarino Igor Cavalcante Medina, de 26 anos,inspirada na violência do cotidiano, terminou com a internação do artista em um posto de saúde por suposto surto psiquiátrico.

O fato aconteceu, na manhã de sábado (28), em Caxias do Sul, na serra gaúcha, onde Igor apresentava sozinho o espetáculo “Fim” na Praça da Bandeira, quando guardas municipais e socorristas do Samu o abordaram.

Segundo a revista Veja, o artista foi sedado e levado para o Pronto-Atendimento 24h, e só foi liberado oito horas depois quando “acordou”, informou um  integrante da equipe enfermagem do Postão.

A médica psiquiatra que atendeu o bailarino constatou que o artista não apresentava sinais de surto psicótico e o liberou.

Cheguei no lugar (da apresentação) e a guarda municipal me abordou junto com o Samu. Foram invadindo sem me perguntar nada, já foram chegando. Eu falei que tinha autorização da prefeitura para estar ali, mas não quiseram me escutar. Disseram que eu tinha um surto psicótico. Me amarraram na maca e me colocaram na ambulância. Me deram uma injeção de tranquilizante e fiquei oito horas amarrados no Postão aguardando um psiquiatra atestar que eu estava lúcido”, disse Medina à revista.

“Falei que estava no meio de uma apresentação e não quiseram me escutar. Quando me abordaram eu estava declamando um poema. Se tivessem parado para me ouvir, isso não tinha acontecido. Eu não tinha como reagir porque eram cinco pessoas me segurando. Tentei conversar porque não dava conta de reagir. Na ambulância, um deles pressionou o punho cerrado no meu peito para eu ficar sem fôlego e parar de falar”, relatou o bailarino.

Foto:Igor Cavalcante Medina (de pé vestindo roupa preta) em apresentação anterior da Cia. Municipal de Dança, de Caxias do Sul.