As mulheres estão bebendo tanto quanto os homens diz estudo

Segundo a tradição, os homens bebem mais do que as mulheres. Mas, estudo publicado no periódico científico BMJ Open, pesquisadores do Centro Nacional de Pesquisa em Álcool e Drogas da Universidade de New South Wales, na Austrália, concluíram que as mulheres, principalmente, as mais jovens, têm consumido quase tanta bebida alcoólica quanto com os homens.

Os cientistas analisaram o consumo de álcool de mais de 4 milhões de homens e mulheres ao longo de um século. Historicamente, os homens consomem entre 2 e 12 vezes mais álcool do que as mulheres. Entretanto essa diferença diminuiu, de maneira tão expressiva últimos anos, que alguns especialistas chegam a dizer que hoje as mulheres bebem mais do que os homens.

O consumo de álcool e os distúrbios relacionados a ele historicamente são vistos como fenômenos masculinos. Esse novo estudo questiona essa premissa e sugere que as mulheres, principalmente as mais jovens, devem ser alvo de esforços para redução do impacto do uso de substâncias e de seus efeitos nocivos”, escreveram os autores.

As razões que levaram a este resultado , segundo especialistas ouvidos pelo jornal britânico The Guardian, são as mais variadas. Mulheres que passaram a ocupar cargos que antes eram exclusividade dos homens juntaram-se a eles na incorporação do happy hour às suas rotinas.

Outros fatores são a queda do preço das bebidas alcoólicas e o surgimento de bebidas mais doces, que as mulheres preferem, e de campanhas de marketing direcionadas exclusivamente para elas.

“Desde 1950 nós observamos um aumento no consumo de álcool pelas mulheres. O consumo de bebidas em casa tem aumentado continuamente e como o álcool é tão barato e encontrado facilmente tornou-se um básico das compras do dia a dia. Também vimos um esforço da indústria em comercializar produtos e marcas específicas para mulheres.”, disse Emily Robinson, diretora de campanhas da ONG britânica Alcohol Concern.

 “As mulheres fazem ‘a hora do vinho’ quase todas as noites. Beber muito, frequentemente, pode acarretar problemas de saúde físicos e mentais futuros e as pessoas não percebem o quanto é fácil passar por cima dos limites recomendados”, alerta.

Em 2010, as doenças relacionadas ao consumo de álcool resultaram em cerca de 5 milhões de mortes em todo o mundo. Informações: Veja

mudancadeparadigmas.com