Battisti diz à PF que decreto de Lula o livra da Itália

O ativista italiano Cesare Battisti, disse à Polícia Federal (PF) que “não receia ser extraditado para a Itália, em que pese um recente novo pedido do governo italiano”, informa a Exame.

Interrogado pelo delegado Iuri de Oliveira, da Delegacia da PF em Corumbá, Battisti afirmou que “está protegido juridicamente contra uma extradição, pois o ministro, aposentado, do Supremo Tribunal Federal ,César Peluso já julgou que a prescrição para os crimes pelos quais foi acusado teria encerrado em 2013”.

Battisti que foi condenado à prisão perpétua em seu país, por terrorismo – quatro assassinatos nos anos 1970 ,se diz amparado por um decreto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que “lhe concedeu visto permanente”.

No último dia de seu mandato, 31 de dezembro de 2012, o petista negou a Roma pedido para transferência do militante.

Além disso, um decreto presidencial não pode ser revisto após cinco anos e a decisão do presidente Lula que lhe concedeu o visto permanente ocorreu há mais de cinco anos”, declarou.

mudancadeparadigmas.com