Brasil foi vítima dos irmãos Joesley e Wesley Batista, diz delegado

Wesley Batista, irmão do empresário Joesley Batista foi preso na manhã desta quarta-feira (13) em São Paulo. O delegado da Polícia Federal, Victor Hugo Rodrigues Alves justificou mandado de prisão preventiva afirmando que eles são “criminosos confessos que não parariam com a sétima operação”, diz O Globo.

De acordo com o delegado, os crimes praticados pelos irmãos Wesley Batista e Joesley Batista, donos da J&F, abalaram a confiança do mercado, afirmou ele em entrevista coletiva concedida nesta manhã.

As vítimas não foram só os acionistas da JBS, mas em um contexto mais amplo, a vítima é o próprio país em que vivemos, os crimes abalaram a confiança do mercado“, disse.

Os irmãos foram presos na investigação do uso de informações privilegiadas para lucrar no mercado financeiro entre abril e 17 maio de 2017, data de divulgação do acordo de colaboração premiada firmado entre executivos da J&F e a Procuradoria Geral da República-PGR.

Segundo o também delegado da PF, Rodrigo de Campos Costa ficou demonstrado que eles descumpriram o acordo de delação premiada, pois continuaram cometendo crimes.

O grande prejudicado nessa prática criminosa deles é o próprio Brasil.” Por isso a necessidade da prisão preventiva dos irmãos, afirmou.

Ainda de acordo com Rodrigo Campos Costa, com base em relatórios da CVM, um dia antes de as primeiras informações sobre o acordo se tornarem conhecidas, foram movimentados 454 milhões de dólares em ações da JBS.

Eles efetivamente trabalhavam com a perspectiva do conhecimento público da delação” concluiu.

mudancadeparadigmas.com