Carmén Lúcia sobre liminar que afastou Renan“Tudo o que for urgente para o Brasil eu pauto com urgência”

O ministro Marco Aurélio Mello, um dia depois de afastar Renan Calheiros (PMDB-AL) da presidência do Senado decidiu, nesta terça-feira, submeter a liminar a referendo do plenário do Supremo.

A presidente do STF ministra Cármen Lúcia, havia sinalizado colocar na pauta imediatamente o tema, se recebesse esse pedido.

Tudo o que for urgente para o Brasil eu pauto com urgência”, disse Cármen. A liminar deve ser analisada nesta quarta-feira, na sessão do Supremo.

Marco Aurélio Mello, que é relator na ação, havia deferido pedido liminar da Rede Sustentabilidade na segunda-feira para vetar a presença de réus na linha sucessória presidencial.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, também pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF), no final da tarde desta segunda-feira, o afastamento de Renan Calheiros (PMDB-AL) da presidência do Senado alegando que “não se pode admitir como normal” que um réu ocupe cargo na linha de sucessão da presidência da República.

“Não é admissível que alguém na condição de acusado de infração penal exerça o normal funcionamento dos órgãos máximos do país e contribua para degradar a respeitabilidade das instituições da República e o princípio da moralidade”, escreveu Janot.

O procurador falou na necessidade de “proteger a credibilidade e a respeitabilidade das instituições”, ”mormente na situação que o país atravessa, em que são frequentes as demonstrações de descrédito da população, atormentada por seguidos exemplos de desapreço à lei e à ética por parte de certas autoridades”. Informações: Veja

mudancadeparadigmas.com

Se você gostou, compartilhe essa matéria ...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someonePrint this page