Ciclista que mostrou dedo do meio a Trump perde o emprego

Juli Briskman, 50, estava andando de bicicleta na cidade de Sterling, Virgínia, perto de Washington, quando passou do seu lado,o carro do presidente Donald Trump, que saia do campo de golfe na mesma cidade.

Enquanto os veículos passavam, ela fez o gesto que foi capturado por câmeras de jornalistas e compartilhado nas mídias sociais, diz a Folha de São Paulo.

“Honestamente, eu fiquei muito brava“, disse ela.

Mais cedo, ela tinha ouvido notícias dando conta de que Trump estava jogando golfe na região. “Eu ergui o braço e comecei a mostrar o dedo do meio. Pensei, ‘você está jogando golfe de novo quando há tantas coisas acontecendo’.”

Briskman mostrou o dedo até a carreata terminar de passar e depois repetiu o gesto quando os carros pararam e ela passou novamente por eles.

No dia seguinte a ciclista disse que ficou sabendo da foto quando um grupo anti-Trump no Facebook postou a imagem e perguntou se alguém sabia quem era. Briskman respondeu que era ela.

A americana trabalhava como analista de marketing na Akima e achou que seria uma boa ideia mencionar o fato ao departamento de Recursos Humanos da empresa.

Eu fui lá e falei: ‘Sabem da mulher da bicicleta? ‘”, contou ela.

Em 31 de outubro, em uma reunião com o funcionário do RH e dois outros executivos, Juli Briskman foi informada de que a empresa a dispensaria, sob a alegação de que a imagem não estava de acordo com a política de mídias sociais da organização sobre “conteúdo obsceno” e que temiam que o fato pudesse atrapalhar os negócios.

“Fiquei surpresa. Eu não vejo o que fiz como mais obsceno do que tanta coisa que você vê por aí.”

mudancadeparadigmas.com