Dallagnol, o “procurador longilíneo, de bochechas rosadas…”

Uma empresa de agenciamento de palestras de São Paulo, a Motiveação, apresentava o procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato na primeira instância, em Curitiba, como garoto-propaganda, para vender e agendar suas palestras sobre o tema.

Os brasileiros se acostumaram a ver pela TV o procurador longilíneo, de bochechas rosadas, cabelo bem aparado, óculos de aro fino e trajado de terno preto quando irrompe um novo ato bombástico da operação – o mais recente foi à denúncia contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva”.

Descrito por amigos como metódico, carinhoso e sossegado, Dallagnol muda de estilo quando sobe no skate ou pega uma prancha. Em 2014, no início da Lava Jato, viajou para surfar na Indonésia. Desde então, sua única praia é a investigação que desbaratou o esquema de desvio de recursos na Petrobras”, completa o texto.

De acordo com o site cada palestra custa de R$ 30 mil a R$ 40 mil, mesmo preço cobrado pelo cineasta Fernando Meirelles, o técnico de vôlei José Roberto Guimarães, o ex-presidente do Banco Central Gustavo Franco, o ex-jogador Cafu e o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Ayres Britto, registra a coluna Maquiavel (Veja).

Dallagnol diz que não autorizou a empresa a publicar o texto e diz que vai procurar retratação.

“A maior parte das palestras é gratuita e nunca autorizei que empresas de agenciamento usassem meu nome para a divulgação de serviço oneroso (quem o fez agiu sem minha autorização e estão sendo adotadas providências para que cessem a indevida divulgação)”, disse.

“Embora eu pudesse legalmente dar destinação pessoal aos recursos, como muitos profissionais da área pública e privada fazem, optei por doar praticamente tudo para que não haja dúvidas de que a minha motivação é apenas contribuir modestamente, como qualquer cidadão de bem, para um país com menos corrupção e menos impunidade”, afirmou em sua rede social Facebook.

dallaganol-1

dallagnol-2

Se você gostou, compartilhe essa matéria ...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someonePrint this page