Deputado diz que Mickey é homossexual e que namoro com Minnie é falso

O deputado federal Victório Galli (PSC-MT) deu inicio a uma polêmica após compartilhar em sua página do Facebook, uma ilustração em que Jesus aparece “protegendo” uma criança do Mickey. Posteriormente, o deputado explicou seu posicionamento sobre a Disney durante uma entrevista.

Em relação a essa situação do Mickey e da Disney, a gente vê que em todas as suas atuações, eles fazem apologia ao homossexualismo. Inclusive o Mickey, se você fizer um estudo profundo como eu já fiz, ele é homossexual. As pessoas estão enganadas com essa mensagem subliminar que a Disney está passando para a sociedade, principalmente às nossas crianças”, disse ele ao jornalista Paulo Coelho, da rádio Capital, de Cuiabá, capital do Mato Grosso.

Questionado pelo jornalista como o Mickey poderia ser homossexual se namora com a Minnie, Galli respondeu:

“Isso é o que eles fazem para enganar as pessoas. O objetivo é destruir famílias”, disse. E continuou: “O próprio nome dele em relação aos exemplos que fazem as cores, assim por diante, você vê uma mensagem subliminar que ele está fazendo uma apologia e apoiando a questão gay.”.

E prosseguiu afirmando que Mickey não é o único personagem “gay” da Disney:

“Infelizmente outro filme em que os personagens transmitem mensagem em relação ao homossexualismo é aquele desenho animado do leão, o Rei Leão. Na realidade é outra mensagem que transmite a apologia ao ‘gayismo’. É na questão que o rei leão deveria ser um animal feroz, de transmitir respeito aos outros animais, ele se torna um animalzinho frágil, que carece de proteção dos outros”, citou.

O jornalista, então, questiona o político se teria algum problema se os personagens da Disney fossem realmente homossexuais, ao que Galli respondeu:

“Cada um faz o que quiser, mas para quem defende a família tradicional, é fator negativo. O errado é que a pessoa tá fazendo apologia. Eu não sou contra ninguém ser gay, meu filho, eu não sou contra ninguém ser lésbica. Eu não sou contra um barbudo viver como casado com outro barbudo, uma cara lisa viver como casada com outra cara lisa, tirando a natureza do homem e da mulher, desde que a pessoa tenha mais de 18 anos, faça isso entre quatro paredes e não faça apologia.”

Após a polêmica, o deputado postou em sua página do Facebook, na sexta-feira (10) uma nota de esclarecimento, em que diz que suas críticas foram baseadas num beijo gay exibido recentemente num desenho da produtora, e no casal homossexual do “live-action” de “A Bela e a Fera”, que estreia nos cinemas brasileiros.

mudancadeparadigmas.com