Detalhe em boné de convidado rouba a cena no “Conversa com Bial”

O Conversa com Bial desta segunda-feira (27) teve como convidados, os gêmeos Fábio Moon e Gabriel Bá, únicos brasileiros a ganhar o Eisner, principal prêmio de quadrinhos do mundo.

Apesar da entrevista dinâmica, um detalhe no visual de um deles roubou a cena nas redes sociais, diz a Veja SP.

Internautas notaram que o símbolo no boné (uma estrela vermelha) usado por Bá estava coberto por dois adesivos. O remendo no acessório usado pelo artista em várias outras ocasiões levantou suspeitas e rendeu acusações de censura à Globo.

Horas depois da polêmica, Gabriel Bá usou as redes sociais para dar sua versão e revelou que a direção da Globo orienta os convidados a evitar números ou outros símbolos que possam remeter a partidos políticos ou marcas.

“Poderia ser um tucaninho azul e amarelo ou um número 45, o logo da Adidas ou o escudo do Palmeiras. Seria coberto da mesma maneira. Prefiro ver agora esse debate todo e o povo refletindo do que simplesmente ter entrado sem boné”, escreveu.

"Evite números para que não haja associação a marcas ou partidos políticos". Essa foi uma das dicas de vestuário da produção do programa. Mesmo assim, fui com meu boné verde com estrela vermelha, que trouxe do Vietnam. Tenho outros, mas gosto deste, do que ele representa. Foi minha escolha. Chegando no estúdio, o pessoal do figurino, respondendo à diretoria do programa, disse que a estrela não ia rolar. Claro que não fiquei contente, mas eu fiz uma escolha antes: a de ir com o boné. Entre entrar com a estrela coberta ou entrar sem boné, escolhi o boné. E escolheria novamente. Poderia ser um tucaninho azul e amarelo ou um número 45, o logo da Adidas ou o escudo do Palmeiras. Seria coberto da mesma maneira. Prefiro ver agora esse debate todo e o povo refletindo do que simplesmente ter entrado sem boné.

A post shared by Gabriel Bá (@gabriel_ba) on

mudancadeparadigmas.com