Dodge denuncia ministro do TSE por agressão à mulher

Raquel Dodge, procuradora-geral da República-PGR, denunciou ao Supremo Tribunal Federal-STF o ministro do Tribunal Superior Eleitora-TSE, Admar Gonzaga por lesão corporal resultante de violência doméstica contra a mulher, Élida Souza Matos.

Segundo a Veja, ”a peça em que a Procuradoria-Geral da República faz a denúncia, protocolada na noite da terça-feira (14) ainda não se encontra disponível para consulta no STF”.

De acordo com o laudo de exame de corpo de delito, feito em 23 de junho, em Brasília, houve “ofensa à integridade corporal ou à saúde”, e o meio que produziu essa ofensa foi “contundente”. Atendida no IML, a mulher do ministro apresentava, “edema e equimose violácea em região orbital direita”. Ela alegou ter sido agredida com empurrões.

Em manifestação enviada ao STF em outubro, se defendendo da acusação, Admar Gonzaga disse:

Não são fatos, mas a versão expressada por uma pessoa acometida de grave crise de ciúmes, e que havia degustado algumas taças de vinho a mais, sem o acompanhamento de adequada alimentação. Assim como agravante para a desestabilidade emocional, sucedeu-se a descoberta de doença autoimune, denominada esclerodermia, conforme já revelado em petição da própria requerente, muito atormentada pela exposição que estamos sofrendo”,

O ministro também deu explicações para o hematoma do olho de sua esposa e disse que ela escorregou em um enxaguante bucal e bateu o rosto na banheira.

Tal lesão, pelo que me recordo, foi causada pelo tombo que se sucedeu ao escorregão que sofreu sobre o Listerine, e que a levou a bater com o rosto na banheira, mas jamais em face do alegado empurrão em seu rosto.”

Sobre as supostas agressões verbais, o ministro disse que jamais dirigiria ofensas a qualquer mulher “muito menos àquela que sempre me dirigi como o amor da minha vida”.

O ministro afirmou à Veja,que não havia tomado conhecimento da acusação  e que precisava analisar a denuncia formal da procuradora-geral antes de fazer comentários. No entanto, disse que o casal, hoje separado, está tentando a reaproximação.

O que eu teria a te dizer é que, depois do ocorrido, nós já viajamos para o exterior duas vezes juntos, e tivemos naturalmente um ambiente muito agradável, com o desejo de ambos (de reaproximação)”.

mudancadeparadigmas.com