“É realmente constrangedora a atuação de Gilmar Mendes”

A crítica do procurador regional da República José Augusto Vagos, da Lava Jato no Rio de Janeiro, à tramitação dos pedidos de Jacob Barata Filho no STF com agilidade diferente dos outros réus foi compartilhada nas redes sociais pelos procuradores Carlos Fernando Lima e Deltan Dallagnol.

Chega a ser constrangedor o acesso que esse acusado tem para obter decisão em último grau de jurisdição sem passar pelas demais instâncias, como se desfrutasse de um foro privilegiado exclusivo para liminares em habeas corpus, mesmo sendo acusado de destinar dezenas de milhões de reais aos maiores líderes políticos do Rio, como se isso constituísse crime de menor potencial ofensivo, crime de bagatela”, disse Vagos ao jornal O Globo.

O comentário refere-se ao habeas corpus concedido, na sexta-feira (01) para libertar o empresário Jacob Barata Filho, ligado ao setor de Transportes. É a terceira decisão do ministro do STF favorável a Barata.

Além de deferir a liberdade ao empresário, Gilmar revogou dois mandados de prisão — um na Operação Ponto Final, outro, na Cadeia Velha. O ministro também concedeu hoje habeas corpus ao ex-presidente da Fetranspor Lélis Teixeira. Ambos são investigados por suposto esquema de pagamento de propina envolvendo empresas de ônibus no Rio de Janeiro

 

mudancadeparadigmas.com