Em “produção independente” gaúcha espera por quadrigêmeos

Solteira e convicta de que teria um filho sozinha caso não encontrasse o parceiro ideal, a administradora de empresas Luciane Carvalho, decidiu, aos 37 anos, que faria uma inseminação artificial para ter seu primeiro filho.

O médico da gaúcha disse que as chances de sucesso seriam de 25%.

 “Acreditava ser mais assertivo [o procedimento] e acabei ficando com muitas dúvidas se daria certo ou não. Soube de relatos de mulheres que fizeram algumas tentativas sem sucesso, o que me deixava mais aflita”, escreveu no site (https://4vidasnaminhavida.wixsite.com/quadrigemeos) que criou para compartilhar sua experiência.

As chances de ter gêmeos eram ainda menores, apenas de 6%. Entretanto, o resultado positivo de gravidez trouxe junto uma segunda surpresa: quadrigêmeos.

Eu sempre quis muito ter filho, sempre me imaginei com filho. Sempre tive um sentimento de muito amor dentro de mim e vontade de botar isso para fora. Mas, no meu salário, caberia um nenê. Apertando, dois. Nem no meu carro cabem quatro” conta a gestante, proprietária de um Ford KA.

Foi um susto. No começo apareciam apenas três bebês. Quando o médico confirmou os quatro, foi um choque. Mas uma alegria muito grande”, disse a Veja a futura mamãe de Nicolas, Antonella, Valentina e Sofia.

Luciane(fotos) está internada no hospital Mãe de Deus, na capital, em repouso absoluto.

mudancadeparadigmas.com

Se você gostou, compartilhe essa matéria ...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someonePrint this page