Imagem de menino em Copacabana viraliza e causa polêmica nas redes sociais

Durante a queima de fogos do réveillon da Praia de Copacabana, a foto de um menino sem camisa, no mar, postada pelo fotógrafo Lucas Landau, que cobriu o Ano Novo pela agência Reuters, virou tema de discussões nas redes sociais.

Na legenda, Lucas relata que estava trabalhando, fazendo fotos do público que assistia ao espetáculo pirotécnico em Copacabana.

Ele estava lá, como outras pessoas, encantado. perguntei a idade (9) e o nome, mas não ouvi por causa do barulho. Como ele estava dentro mar (que estava gelado), acabou ficando distante das pessoas. Não sei se estava sozinho ou com família.”

Segundo Lucas, “a fotografia abre margem para várias interpretações; todas legítimas, ao meu ver. Existe uma verdade, mas nem eu sei qual é. Me avisem se descobrirem quem é o menino, por favor,”.

A repercussão nas redes sociais foi de elogio à sensibilidade do fotografo, até críticas com relação ao uso estereotipado de crianças negras.

Confira os elogios:

Um internauta disse que a foto é “maravilhosa, triste, intrigante, reveladora e extremamente real”.

Outra diz esperar que o menino “encantado” da foto esteja fazendo um pedido que um dia se cumprirá.

São sempre muitas histórias dentro de uma história, não é mesmo? Os meus filmes preferidos são assim: folheiam camadas. Sua foto fala do menino, encantado, com frio, talvez (espero que sim) fazendo um pedido que um dia se cumprirá. Sua foto fala de você, do seu encantamento diante do encantado. Sua foto está falando com milhares de corações hoje, está preenchendo nosso dia primeiro com beleza e esperança. Belíssimo trabalho! Bravo!”

E as críticas:

Não vejo nada demais (e particularmente não achei nem bonita)” afirmou um internauta.

Eu vejo uma criança que parou para olhar a queima de fogos no meio de uma festa. Sinceramente, nós temos que parar de achar que todo menino negro e sem camisa está abandonado, triste, sozinho, infeliz e contrastando com a felicidade dos outros”, disse outro.

Temos que parar de achar que todo menino sozinho é criança que vive em situação de rua. Temos que parar de achar um monte de coisas. Inclusive, que é legal expor nossas crianças para a branquitude começar o ano com pena e compaixão de nós”.

Ah, por favor, né, a gente tem essa mania horrível de reforçar os estereótipos de nossas crianças”.

E você,como interpreta a imagem?

mudancadeparadigmas.com