Mulher de Crivella critica gays e piercing em seu livro

Sylvia Jane Crivella, formada em Letras, escritora e mãe de duas mulheres e de um rapaz é autora do livro “O desafio de criar filhos”, que tem como objetivo orientar mães com princípios bíblicos.

Na obra publicada em 2014, ela aborda temas polêmicos e cita o tsunami ocorrido três anos antes comparando a tragédia, às “ondas” que, segundo ela, podem atacar as famílias: a homossexualidade, a separação e o suicídio.

“Enquanto escrevia este livro, o mundo testemunhava estarrecido, o maior tsunami de sua história. As cenas chocaram pessoas de todas as raças e de todos os credos, mas os testemunhos dos que sobreviveram têm muito a nos ensinar. Quantas famílias não foram ou estão sendo atacadas por terríveis “ondas”? Filhos casados que se separam; que se tornaram homossexuais; e que até atentam contra a própria vida“, enumera.

Deixar o cabelo crescer não significa, um desvio de caráter, diz o livro segundo o G1. Em compensação, relembra ter sentido vergonha de uma pessoa que viu na juventude — um hippie.

Com relação à piercings e tatuagens, Sylvia vai mais longe.

São porta de entrada para enfermidades e espíritos malignos“, escreve e cita o exemplo do filho de uma amiga.

Disse [a ele] que, enquanto mantivesse aquele piercing na língua, estaria prestando culto aos demônios“. Sensibilizado pelas palavras da escritora, o jovem teria mudado de ideia.

Para as meninas, por exemplo, ela defende tarefas domésticas específicas e diz que ser mãe exige sacrifício. Em relação aos homens, os deveres e de casa são menos claros.

“Ensinar as meninas a cozinhar e costurar pode ser prazeroso, além de muito útil no futuro. Fazer os filhos participantes na rotina diária traz a noção que todo ser humano deve ter direitos e deveres.”

mudancadeparadigmas.com