PADRE FÁBIO DE MELO – Quebrando paradigmas na igreja católica

“A vulnerabilidade é o que me define como ser vivo. É por ser vulnerável que amo. Não tenho cercas na alma. Vivo exposto. E prefiro”. (Padre Fábio de Melo)

Inovando crenças e conceitos da Igreja de que padre tem que ser sisudo, ter apenas cultura religiosa e usar sempre batina para receber o respeito dos fiéis, Padre Fabio de Melo provou que a religiosidade vai além de dogmas impostos pelo conservadorismo da religião.

De uma cultura diversificada, elegante, vaidoso e porque não dizer ousado na expressão de seus pensamentos, o que, às vezes, lhe impõe algumas sanções por parte dos fiéis, da mídia e da própria igreja, Padre Fabio de Melo traz para o presente a palavra pregada por Cristo há dois mil anos de forma didática e consistente.

E assim vai agregando valores à igreja católica com sua forma, peculiar, de interpretar os ensinamentos.

Nascido em Formiga (MG), em uma família simples – seu pai era pedreiro e a mãe, dona de casa – Padre Fábio diz que aprendeu a viver com pouco. “Passei toda a infância num contexto muito rural, muito simples. E o contexto da simplicidade é o da criatividade.

Quando não se tem, se inventa. Acho que a carência material desperta a riqueza espiritual e uma maneira de ver a vida diferente. Então, gostava muito de ler. Quando somos pobres e descobrimos os livros, ganhamos o mundo”, afirma.

È Formado em filosofia e teologia, pós-graduado em educação e mestre em antropologia teológica, em seus programas e pregações traz para o cotidiano de milhares de pessoas, a palavra do Evangelho, de forma atualizada e poética. Como professor universitário, lecionou teologia na Faculdade Dehoniana de Taubaté.

Tendo como referencial o Padre Zezinho, precursor dos padres cantores desde a década de 1960, padre Fábio de Melo lançou seu primeiro CD, em 1997, com o título “De Deus um cantador” e seu primeiro livro em 2006, Tempo- saudades e esquecimentos -.

Ao todo, Padre Fábio de Melo já vendeu mais de 2 milhões de cópias de CDs (1,8 milhão apenas na Som Livre), além de 500 mil livros.

Ainda que algumas colocações feitas, em programas de entrevistas, tenham lhe rendido muitas criticas pela interpretação equivocada de suas palavras, o comprometimento com seu proposito de fé, tem motivado sua performance.

O reconhecimento e aceitação de sua vulnerabilidade, como Padre e como Homem tem consolidado sua convicção de que a felicidade do ser humano não está ligada à ausência de problemas ou de dores, mas à sua capacidade de enfrentá-las positivamente pela fé no amor de Deus!