Propina “em mãos” ?

propina-em-maos

O depoimento do ex-diretor da Andrade Gutierrez, Flávio David Barra, e delator na Lava Jato, relata em detalhes um forte esquema de corrupção instalado na construção da Usina Nuclear de Angra III no estado do Rio de Janeiro, denunciando políticos do alto escalão como o então líder do governo da presidente Dilma Rousseff, Romero Jucá e do então Ministro das Minas e Energia, Edson Lobão e também do presidente da Eletronuclear, Othon.

Em seu relato Barra, detalhou o pagamento de propinas a Edison Lobão, resultado dos esquemas para a construção da usina de Belo Monte.

“Barra contou que, certo dia, foi à casa de Lobão, no Lago Sul, em Brasília. Foi tratar do andamento das obras e propinas para o PMDB, não necessariamente nesta ordem” e Lobão, então ministro das Minas e Energia, pediu R$ 600 mil, segundo Lauro Jardim.

“O hoje delator explicou que não tinha aquele dinheiro em Brasília. Lobão resolveu o problema: disse que o dinheiro deveria ser entregue ao seu filho Marcio, no Rio de Janeiro”.

Flávio Barra então foi ao apartamento de Marcio, na Avenida Atlântica, e entregou o dinheiro. Em mãos!

mudancadeparadigmas.com

Se você gostou, compartilhe essa matéria ...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someonePrint this page