Samarco está parada para evitar novos acidentes afirma Ibama

A  Samarco, seis meses depois do acidente com a barragem de rejeitos da mineradora em Mariana (MG) trabalha abaixo do necessário para fazer a limpeza provocada, o rio ainda está 10 vezes mais sujo que o normal e um novo acidente pode ocorrer no período chuvoso.

De acordo com a avaliação da presidente do Ibama, Marilene Ramos , se os trabalhos da companhia –sociedade da Vale com a australiana BHP– não forem intensificados até o próximo período chuvoso, a água do rio poderá ficar ainda pior, prejudicando o abastecimento das cidades e a recuperação da fauna e da flora.

A avaliação que faço é que a presença no campo está aquém da necessidade real para fazer frente ao quadro de destruição“, afirmou a presidente do órgão ambiental federal, que se reuniu nesta quarta-feira (4) com representantes de órgãos públicos e da empresa no Comitê Intergovernamental criado para tratar da recuperação do desastre.

Segundo Marilene ,a empresa está cumprindo os prazos mas “observamos que se não for feito esforço maior os prazos não serão cumpridos”.

O advogado Sergio Bermudes , contratado para defender a mineradora Vale em ação que pede indenização de R$ 155 bilhões por danos com o rompimento da barragem de Mariana (MG)diz que o pleito é “desproporcional” e “irresponsável“.

Nesta quinta-feira (5) a empresa vai se pronunciar,  antes da análise dos pedidos de liminar feitos pelo Ministério Público de Minas Gerais.

A ação civil foi entregue na segunda (2) à Justiça Federal. Nela, a procuradoria pede indenização de R$ 155 bilhões de Samarco, Vale e BHP. Informações:Folha.Uol

mudancadeparadigmas.com

Se você gostou, compartilhe essa matéria ...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someonePrint this page