Somos todos corruptos

ManifestantesnoCongresso270616

   Os brasileiros achavam que, quando Getúlio caísse e secasse o seu “mar de lama”, a corrupção terminaria.

   Mas aí veio Adhemar de Barros, e sua frase mais célebre era: “Rouba, mas faz”.

   Os generais acharam que, se derrubassem os civis, a corrupção terminaria.

   Mas aí veio a ditadura militar e a corrupção continuou.

   A gente achava que quando caísse a ditadura militar a corrupção endêmica terminaria.

   Mas aí descobrimos Orestes Quércia, Paulo Maluf e ACM.

   Collor se elegeu como “caçador de marajás” e os brasileiros achavam que a corrupção terminaria.

   Mas descobrimos que havia um PC Farias e que ele era sócio de Collor. E Collor foi derrubado.

   A gente achava que depois que Collor caísse o Brasil seria passado a limpo e nunca mais haveria corrupção.

   Mas aí veio a Lava Jato e abriu-se uma verdadeira caixa de Pandora da corrupção.

   E então as pessoas foram às ruas achando que, se derrubassem Dilma a corrupção terminaria.

   Mas aí veio Temer.

   Agora, os três homens mais poderosos do país – Temer, Cunha e Renan – são suspeitos de corrupção, dois deles com vários inquéritos abertos e um deles réu duas vezes.

   Está difícil derrubar Temer, está difícil derrubar Cunha, está difícil derrubar Renan.

   O Brasil, conhecido como país do samba, do carnaval e do futebol agora começa a ser conhecido no mundo como o país da corrupção.

   E a pecha vai recair não somente sobre Temer, Cunha e Renan, nem sobre os políticos brasileiros, mas sobre todos os brasileiros.

   Todo brasileiro será identificado, por outros povos, como um corrupto em potencial.

   Somos todos corruptos.   Por Alex Solnik (jornalista)

mudancadeparadigmas.com

Se você gostou, compartilhe essa matéria ...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someonePrint this page