Web não perdoa festival de gafes de Galvão Bueno

Galvão Bueno retornou de suas férias na Toscana (Itália) e na tarde desta terça-feira (08) demonstrou que ainda estava totalmente fora do “ritmo de jogo”.

Ao narrar a vitória do Real Madrid sobre o Manchester United por 2 a 1 na decisão da Supercopa da Europa, o locutor esportivo da Globo cometeu uma série de gafes. Galvão tentou exibir seus conhecimentos sobre o futebol europeu, mas trocou números, nomes e até a nacionalidade dos jogadores.

Já no inicio da partida ele fez um dos comentários “bola fora”: “O futebol italiano vem forte nesta temporada, com o investimento do Milan… mas o time da cidade do árbitro, Florença, ou Firenze como dizem os italianos, vai mal das pernas…”, afirmou.

Logo em seguida informou que o Real Madrid tinha 11 e não 12 títulos da Liga dos Campeões. “Eu falei 11, olhei para o Caio (Ribeiro) e para o Casão, eles concordaram com a cabeça”, disse jogando a culpa nos colegas.

E não parou por ai:

“Sabe como se chama o principal estádio da Croácia? Marakana” gabou-se. Na verdade, o estádio apelidado em homenagem ao Maracanã é o do Estrela Vermelha, em Belgrado, na Sérvia.

O narrador voltou a se confundir, ainda no primeiro tempo: “Isco, jogador revelado pelo Real Madrid”, disse, citando o meia espanhol de 25 anos que atuou por Valencia e Málaga antes de ir para o campeão europeu.

Pouco depois, ele foi novamente traído pela memória: “Mourinho, que foi assistente de sir Alex Ferguson no United…” O “Special One” jamais foi auxiliar do United. O ajudante de Ferguson no início dos anos 2000 era outro português: Carlos Queiroz. Nesta época, Mourinho era técnico do Chelsea e grande rival de Ferguson.

Nas redes sociais, os internautas reclamaram dos erros… e detonaram o numero de vezes Galvão falou sobre Neymar e Casagrande sobre o Corinthians: